sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Conheça as diferenças entre os principais tipos de massagem



Veja a seguir quais são as técnicas mais populares, benefícios e contraindicações.

MASSAGEM TAILANDESA

Usa os mesmos movimentos da ioga. Os alongamentos aplicados pelo terapeuta são intercalados com exercícios para diminuir o ritmo da respiração e a frequência cardíaca, combatendo o estresse. Trabalha principalmente pescoço e cabeça. A frequência ideal é de uma a três sessões por semana. Não é indicada em casos de problemas cardíacos, cirurgia recente, varizes ou infecções na pele.

MASSAGEM SUECA

Técnica baseada em uma sequência com cinco manobras: deslizamento, mais leve; fricção; amassamento, que diminui a contração dos grandes grupos musculares; vibração, para descontrair áreas menores; e percussão, com efeito estimulante. Trata contraturas, alterações posturais e pode ser relaxante ou estimulante, dependendo da velocidade e da profundidade das manobras. Não deve ser feita por quem tem inflamação ou infecção.

MASSAGEM ESPORTIVA

Adapta a velocidade e a força das manobras clássicas para momentos diferentes da atividade física. Antes do exercício é rápida e superficial, para "despertar" o músculo. No intervalo é mais lenta para soltar a musculatura e ajudar a eliminação de toxinas como o ácido lático. Quando o exercício termina é mais profunda. Serve para atletas em treinamento intenso ou em competição, e não para quem faz exercícios moderadamente.

MODELADORA

Estimula a pele e o tecido adiposo, redistribuindo a gordura e diminuindo o aspecto "casca de laranja" causado pela celulite. Mas não "quebra gordura". "E nem pode, isso causaria dano ao tecido", afirma a fisioterapeuta Pascale Tacani. Não é relaxante, ao contrário, estimula o metabolismo. Contraindicada para que tem inflamação e microvarizes.

REFLEXOLOGIA PODAL

Baseada na medicina tradicional chinesa, segundo a qual todos os órgãos do corpo estão refletidos na planta do pé. Os objetivos dessa técnica são estimular o órgão relacionado ao ponto trabalhado (como na massagem do tecido conjuntivo) ou equilibrar o fluxo energético (como no shiatsu). Pode ser dolorida, mas, se os pontos específicos não forem massageados da forma correta, a terapia não tem efeito.

RECURSOS AUXILIARES

O terapeuta usa bambu, pedras, ventosas. As ventosas criam pressão negativa que trata aderências e cicatrizes. O bambu permite ao massagista fazer rolamentos que relaxam grandes grupos musculares. As pedras melhoram a circulação. "É todo um clima que se cria com texturas que não fazem parte da técnica, mas contribuem para o efeito", diz a gerontóloga Lígia Posser.

MASSAGEM DO TECIDO CONJUNTIVO

A partir da manipulação da pele são estimuladas as chamadas zonas reflexas -vísceras e órgãos distantes da área tocada, mas ligados a ela por caminhos do sistema nervoso. Em vez de pressionar os músculos, o terapeuta "puxa" a pele, como se fosse descolá-la.

Indicada quando há áreas da pele doloridas relacionadas a um problema em algum órgão. Pode causar alergia em algumas pessoas. Não é para relaxar: causa um estímulo doloroso e irrita a pele.

LIBERAÇÃO MIOFASCIAL

Massagem profunda que atinge as fáscias (tecido que envolve os músculos e os conecta aos tendões). Útil para dores posturais, mas, dependendo do nível de tensão muscular, pode doer. Exige uma série de sessões para dar resultado.

Ajuda a relaxar. As indicações incluem problemas de coluna, desvios ortopédicos, lesões por esforços repetitivos e doenças osteomusculares. Uma das técnicas que trabalha a liberação miofascial é o Rolfing.

DRENAGEM LINFÁTICA

Estimula o sistema linfático, que absorve e transporta líquidos, proteínas e gorduras no organismo. Ajuda a eliminar líquidos e diminui o inchaço causado por insuficiência venosa, problemas de tireoide ou ciclo menstrual, segundo a fisioterapeuta Pascale Tacani.

As manobras, suaves, têm efeito analgésico e relaxante. Contraindicada em casos de trombose e pressão alta.

QUIROPRAXIA

Diferencia-se de outras massagens porque não trabalha os músculos, mas as articulações. São movimentos rápidos e precisos para tirar pressões nas articulações e realinhá-las. Segundo Ana Paula Facchinato, coordenadora do curso de quiropraxia da Universidade Anhembi Morumbi, o tratamento é indicado para dores lombares, no pescoço e hérnias de disco. "Se não for feita da forma certa, a terapia faz mais mal do que bem.

SHIATSU

Pressão nos mesmos pontos do corpo usados na acupuntura. Não há óleos ou cremes. Segundo a fisioterapeuta Patricia Mari Maruyama, a técnica libera a musculatura e equilibra o fluxo de energia nos meridianos (canais que transportam energia vital para os órgãos, na medicina chinesa). Não é indicada para depois do esporte e não é a melhor opção se a pessoa está com inchaço.

ANMA

Combina a pressão em pontos do corpo com deslizamento e amassamento dos músculos. É mais suave que o shiatsu, o que a torna interessante para pessoas muito sensíveis à dor, que podem se incomodar com a pressão em pontos doloridos. Indicações e efeitos são os mesmos do shiatsu.

UNTERWASSERMASSAGE

Na técnica alemã, a pessoa fica dentro de uma banheira e o terapeuta usa um jato d'água forte para tonificar o corpo, aumentar a circulação e estimular a eliminação de líquidos. Relaxa e trabalha a musculatura ao mesmo tempo, diz Helga Fischer, dona do Viktoria Garten. Indicada para relaxamento e reabilitação. É preciso passar por análise para avaliar a intensidade do jato (varia conforme o condicionamento e o tônus).

AYURVÉDICA

Na medicina indiana, a massagem é parte do tratamento. Deve ser indicada de acordo com o "dosha" (biótipo) da pessoa e do que precisa ser ajustado.
Há várias escolas. Comum a todas é o uso de óleos escolhidos conforme o objetivo: estimular, acalmar etc. As manobras são contínuas e associadas à respiração. Algumas usam também os pés nas manobras, o que permite atingir musculaturas mais profundas e pode ser dolorido. Contraindicada em casos de inflamações, infecções, excesso de toxinas no corpo, menstruação ou gravidez.

WATSU

Alongamento em piscina aquecida, é indicada na reabilitação de derrame e doença de Parkinson e para aliviar estresse. Diminui o tônus muscular e trabalha a coluna, o quadril e o trapézio. "O terapeuta movimenta o corpo da pessoa e ela recebe a massagem pela água quente", diz o fisioterapeuta Marcelo Roque. Não é indicada em casos de tônus muscular muito flexível, como na síndrome de Down, e de cardiopatias graves.

FOLHA.COM

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget
Related Posts with Thumbnails