sábado, 30 de maio de 2009

Breve história da Massagem


No oriente a massagem faz parte do dia a dia e dos tratamentos médicos, sendo beneficiadas pessoas de todas as idades. Na cultura ocidental infelizmente, durante muito tempo a imagem foi distorcida ficando restrita aos esportes. De uns anos para cá, principalmente quando passamos a conviver com o estresse globalizado, as pessoas estão descobrindo o valor dos diversos segmentos das massagens: sueca, shiatsu, reflexologia e etc.

O ponto de partida da massagem é a empatia do terapeuta. Deve antes de tudo ser uma pessoa pronta a ajudar o cliente transferindo confiança e energia positiva assim como deveria ser todo profissional de saúde. A massagem não terá nenhum valor se o terapeuta não se colocar no lugar do cliente. Como eu gostaria de estar recebendo essa massagem agora?


A arte de curar através das mãos não é nova. No início do século V a.C. Hipócrates, considerado pai da Medicina, em suas escritas deixou claro que o médico precisa ter muitos conhecimentos, entre eles o da massagem. Hoje a Medicina moderna trabalha com especialistas em cardiologia, ortopedia e etc. Entretanto, só não dá, de sã consciência, para negar o valor da massagem como coadjuvante no tratamento médico aliviando as tensões.



Vários povos da antiguidade, sempre de uma forma ou de outra foram adeptos à massagem especialmente os romanos. Entretanto, durante a Idade Média, depois da queda do império romano, houve uma regressão das coisas do corpo, da própria educação física em função da ascensão do cristianismo onde o culto ao corpo era um verdadeiro pecado, também chamado por alguns autores de "Idade das Trevas".

texto deVinicius Maldini

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget
Related Posts with Thumbnails