segunda-feira, 26 de novembro de 2012

O ALÍVIO ESTÁ NAS MÃOS DE ESPECIALISTAS

 
Estresse dói
As tensões diárias fazem você enrijecer a musculatura até o seu corpo pedir socorro. Aí começam as dores e, para relaxar e aliviar o incômodo, nada melhor do que uma boa massagem. Escolha a sua!Chateações em casa ou no trabalho, sapos engolidos, ansiedade, violência, medo de perder o emprego, pavor de engordar, receio de não dar conta da agenda apertada... Para a maioria de nós, as emoções geradas por essas e outras preocupações fazem parte do estresse diário e têm um destino certo: a musculatura. Sem perceber, começamos a segurar o telefone com força, a apertar a mandíbula, a manter os ombros curvados e a contrair os músculos das costas. O resultado é uma dor crônica pelo corpo, fruto de anos de tensão muscular. “A rigidez causa dor, porque na área contraída a circulação do sangue fica mais difícil e a oxigenação dos tecidos é prejudicada, impedindo a eliminação de toxinas. O incômodo é pior se a tensão no local chega a comprimir os nervos”, explica Maria Thereza Bortolo, especialista em eutonia, uma técnica que melhora a consciência corporal.
 
Não dê as costas para a dor
Como eliminar todas as fontes de estresse é impossível, o melhor caminho para ficar livre das dores é aprender a lidar com as pressões. “Se em vez de sufocar sentimentos como a raiva, o medo e a humilhação, passamos a aceitá-los e a expressá-los com maturidade na hora em que eles aparecem, agimos no sentido de evitar novas tensões e dores musculares e até mesmo de aliviar as antigas, que estão ‘congeladas’ e podem incomodar por anos a fio”, garante o médico e psicoterapeuta Ricardo Rego, professor e diretor do Instituto Brasileiro de Psicologia Biodinâmica, de São Paulo.
 
Ou seja, se você não resolve o problema na hora (foge, arruma uma válvula de escape), ele se acumula em forma de tensão no corpo. E vai fazendo mal, causando vários sintomas psicossomáticos, como a dor. “Pessoas deprimidas e ansiosas são as que mais sofrem de dores nas costas, por exemplo. Para melhorar, elas deveriam passar a acreditar mais no próprio potencial e readquirir a auto-estima”, ensina o reumatologista José Goldenberg, vice-presidente do Hospital Albert Einstein e autor do livro Coluna Ponto e Vírgula (Ed. Atheneu).
 
Enquanto insistimos em manter a mesma postura diante da vida, outra saída bem menos complicada é buscar o bem-estar por meio de massagens e outras técnicas de manipulação de partes do corpo. Elas, literalmente, ‘tiram com as mãos’ as dores causadas por estresse e, de quebra, induzem à produção de substâncias que podem atuar no equilíbrio emocional.

O ALÍVIO ESTÁ NAS MÃOS DE ESPECIALISTAS
SE SUAS DORES SÃO MESMO FRUTO DO ESTRESSE — E NÃO DE UMA HÉRNIA DE DISCO OU ATÉ DE UM TUMOR NAS COSTAS, POR EXEMPLO — O VAIVÉM DAS MÃOS DE UM ESPECIALISTA QUALIFICADO, CAPAZ DE DIFERENCIAR A CAUSA DA DOR, COSTUMA SER UM EXCELENTE REMÉDIO. CONFIRA, A SEGUIR, AS MASSAGENS E TÉCNICAS MAIS INDICADAS PARA ESSES CASOS. O IDEAL É FAZER AO MENOS DEZ SESSÕES — TEMPO MÍNIMO QUE UM ORGANISMO ESTRESSADO LEVA PARA COMEÇAR A RESPONDER AO TRATAMENTO.


MASSOTERAPIA, A MASSAGEM OCIDENTAL
O que é
O ocidente também aceita o poder da massagem, tanto que é um dos recursos utilizados por fisioterapeutas para curar e reabilitar vítimas de traumas físicos (como estiramentos musculares), para controlar a dor, melhorar a circulação sangüínea e aumentar a flexibilidade das articulações. A explicação para os benefícios do vaivém das mãos, nesse caso, remete a reações fisiológicas já comprovadas. O toque dos dedos e das mãos na pele estimulam o fluxo do sangue (permitindo mais oxigênio para os tecidos e células) e a circulação linfática (responsável pela liberação de toxinas pelo organismo). Além disso, milhões de receptores nervosos sob a pele enviam sinais para o cérebro que, por sua vez, responde com a liberação de substâncias que dão a sensação de bem-estar e aliviam as dores — como as endorfinas, verdadeiros analgésicos naturais. Por isso, ela funciona quando há dores por estresse.
 
Como é feita
“Se é um problema de tensão muscular, trabalha-se a área dolorida até dissolver os nódulos resultantes de contraturas. As áreas-alvo mais afetadas pelo estresse crônico são os ombros e as costas (na parte cervical, próxima ao pescoço, e na lombar, na região final da coluna)”, explica a fisioterapeuta Marina Luiza Spinelli, do Ambulatório de Fisioterapia do HC. Também conhecida como massagem terapêutica, ela usa a aplicação de força ou vibração, de forma profunda, sobre tecidos macios do corpo (músculos, tendões, ligamentos e articulações). A massoterapia é feita com o auxílio de cremes ou óleos específicos.

Tempo de duração da sessão: 60 minutos.

 
EUTONIA, PELA CONSCIÊNCIA CORPORAL

O que é
Há 70 anos, a criadora da técnica, a alemã Gerda Alexander, já chamava a atenção para uma atitude importante e bastante difundida hoje: o desenvolvimento da consciência corporal. Aos 16 anos, Gerda precisou abandonar o balé e ficar de repouso por causa de uma inflamação na membrana do coração. Desde então, ela passou a prestar atenção em quais movimentos afetavam menos os músculos cardíacos e respiratórios. Daí, passou a aperfeiçoar os estudos sobre a relação da qualidade dos movimentos com o bom funcionamento do organismo. Na prática, a eutonia ensina a interpretarmos os sinais do corpo e a corrigir a postura, quando notamos que estamos usando de forma incorreta ou exagerada músculos e articulações.

Como é feita
“Não é um trabalho invasivo ou dolorido, respeita muito a dor do outro. Geralmente, massageamos sobre a roupa”, explica a eutonista Maria Thereza Bortolo. Para isso, os especialistas na técnica utilizam as massagens e correções posturais, com apoio de diversos materiais, como almofadas, bolinhas e até varas de bambu, para ajudar a pessoa a aumentar a sua autopercepção. “Depois de cada sessão, a pessoa se sente menos tensa e dolorida e mais consciente do próprio corpo. Aos poucos, irá aprender a dosar a energia física e emocional necessárias para realizar cada atividade do cotidiano, sempre buscando um equilíbrio”, garante a especialista.
Tempo de duração da sessão: 60 minutos.

TUI NA, ALÍVIO INDIRETO

O que é
É um dos tratamentos da Medicina Tradicional Chinesa, que considera a dor como um sinal de falta de circulação de energia vital. De acordo com a filosofia oriental, grande parte das dores é mesmo causada pelo estresse emocional e, dependendo do problema, sempre aparece em uma determinada região. “Dores nas áreas do pescoço e ombros estão associadas a tensões nos relacionamentos. Se forem do lado esquerdo, são problemas de ordem afetiva. Do lado direito, dificuldades nas relações com os colegas de trabalho”, revela César Pereira da Silva, terapeuta do Instituto Pai Lin de Cultura Oriental, de São Paulo.
 
Como é feita
Por meio de 28 manobras básicas (pinçar, apertar, deslizar, vibrar e dar pequenas batidas), com as mãos, cotovelos e punhos, o terapeuta faz a energia vital se mover e mostra o caminho de fuga, empurrando a dor até lá. Geralmente, não se trabalha direto na região da dor, mas sim em áreas correlatas nos pés.
Tempo de duração da sessão: 60 minutos.

 
SHIATSU, LIBERA A ENERGIA
 
O que é
O shiatsu é uma antiga técnica oriental, em que o profissional utiliza os dedos, as palmas das mãos e os cotovelos para estimular os pontos de tensão do corpo e restabelecer o fluxo da energia vital. A filosofia é baseada na Medicina Tradicional Chinesa, a mesma seguida pelos especialistas em Tui Na. “Essa energia é chamada Chi e circula pelos meridianos, canais energéticos espalhados pelo corpo e utilizados pela acupuntura”, explica a fisioterapeuta e massoterapeuta Marina Luiza Spinelli, do Ambulatório de Fisioterapia do Hospital das Clínicas (SP).
 
Como é feita
A massagem começa na sola dos pés e termina no couro cabeludo. “Para os orientais, a dor é sinônimo de energia acumulada por razões diversas, entre elas, o estresse. As tensões se transformam em nódulos no corpo que são desfeitos por meio da pressão dos dedos e das palmas das mãos — assim, a energia é liberada”, revela Marina Spinelli.
Tempo de duração da sessão: 40 a 60 minutos.


OSTEOPATIA, BUSCA O EQUILÍBRIO
O que é
O osteopata Philippe Septanil, membro da Associação Brasileira de Medicina Complementar, diz que a osteopatia parte do princípio de que todas as partes do corpo funcionam de forma integrada. Se uma delas está restrita (tensa), as restantes sofrem adaptações e compensações. Resultado: inflamação, rigidez, dor e outras disfunções e doenças. Corrigir essas restrições faz o organismo voltar a funcionar harmoniosamente e a estimular seu poder de autocura. “Analisamos o paciente como um todo e o ajudamos a achar o equilíbrio global”.
Como é feita
Por meio de manobras leves e manipulação dos tecidos, desde a região da coluna até o crânio. Há técnicas específicas para cada região. “A diarréia, típica reação de pessoas nervosas e estressadas, por exemplo, pode ser contida com manipulações na área visceral. O objetivo nesse caso é regular o funcionamento do estômago”, explica Phillipe Septanil.
Tempo de duração da sessão: 45 a 60 minutos.


POR MARIANA VIKTOR

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget
Related Posts with Thumbnails