quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Massagem rítmica atua contra doenças




Com movimentos suaves de sucção, a técnica imita o pulsar do coração e combate problemas circulatórios, respiratórios e digestivos

Desenvolvida a partir da massagem clássica, a massagem rítmica nasceu no início do século 20. Porém, diferente das demais técnicas, baseia-se no conhecimento global do ser humano e as interações entre os sistemas neuro-sensorial (cabeça), rítmico (tronco) e metabólico-motor (abdômen e membros).

"São dois os pontos centrais da massagem rítmica: a revitalização e harmonização do corpo", diz Márcia Marques, massagista responsável pela formação em massagem rítmica no Brasil.

Os movimentos são bem suaves, com toques de sucção e não de pressão. “A mão pulsa como um coração sobre a pele, estimulando todo sistema rítmico, o que promove a saúde em todo o organismo", completa a especialista.

Embora seja prazerosa, seu objetivo não é o relaxamento. Segundo a pneumologista e alergologista Elaine Marasca, vice-presidente da Associação Brasileira de Medicina Antroposófica (ABMA), a massagem rítmica é potente auxiliar no tratamento de diversas patologias.

“Trata-se de um método curativo, indicado para harmonizar os sistemas do organismo. Pode ser especialmente efetiva em distúrbios circulatórios (hipertensão ou hipotensão), respiratórios (como asma), digestivos (como intestino preso), neurológicos (como esclerose múltipla) e psicológicos (como estresse). Também se beneficiam pacientes com depressão, insônia, enxaqueca, obesidade, deficiências imunológicas”, diz a médica.

É indicada para pessoas de todas as idades. A restrição é feita somente em casos de febre ou processos infecciosos e inflamatórios, pois os movimentos na pele podem estimulá-los.

Os movimentos

Na massagem rítmica, a mão do terapeuta executa toques circulares e de sucção fazendo fluir os líquidos, oxigenando e aquecendo todo o organismo.

“Ritmos como a mudança de estações do ano, acordar e adormecer, inspirar e expirar, são representados por meio dos ritmos de ligar e soltar dos toques", explica a terapeuta Márcia Marques. O resultado é bem-estar geral. “Principalmente porque atua onde havia energia estagnada”, completa a médica Elaine Marasca.

Na aplicação da massagem rítmica também são empregados óleos e pomadas. "Dependendo do diagnóstico do paciente é utilizado determinado tipo de produto. O óleo essencial de lavanda, por exemplo, acalma e relaxa, já o de alecrim é mais estimulante. As pomadas derivadas de combinações com metais – cada metal corresponde a um órgão do nosso corpo segundo a medicina antroposófica – para fricções em determinados órgãos também são usadas dependendo da necessidade ", diz Márcia.

Para um tratamento médico, são indicadas 10 sessões, de uma hora cada, realizadas duas vezes por semana. “Tudo segue um ritmo e deve ter começo, meio e fim”, argumenta a médica Elaine. Mas diante de um problema pontual – como uma dor aguda–, duas ou três sessões podem ajudar. “ A sensação de bem-estar é imediata”, garante Márcia Marques.

Yara Achôa, iG São Paulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget
Related Posts with Thumbnails