quinta-feira, 2 de junho de 2016

Atenuando a Dor através da Massoterapia



Antes de falar sobre massoterapia, precisamos falar sobre massagem. O aspecto terapêutico da massagem é o mais conhecido dessa disciplina e sua destinação mais evidente. As massagens são indicadas antes de tudo para o tratamento das dores musculares, para todas as algias – quer de origem nervosa, quer circulatória – e, num estágio avançado, para o alivio dos sintomas cardio-vasculares, gástricos, respiratórios…
Mas é evidente que os não-especialistas deverão limitar suas esperanças à esfera benigna das pequenas doenças, evitando confundir o £to de aliviar com os poderes ocultos de que se orgulham algumas pessoas.

Na verdade, os benefícios da massagem, conhecidos desde a alta Antiguidade de modo empírico, ornados com o véu do mistério e do dom, perderam hoje muito de seu valor místico graças às explicações científicas.

O que é a massoterapia?

massoterapia é simplesmente a arte de suscitar reflexos superficiais e profundos, com a intensidade desejada e na zona conveniente. Trata-se, em primeiro lugar, de um ato médico que pressupõe o conhecimento profundo das reações orgânicas perante as excitações executadas na periferia do corpo sobre os aparelhos receptores da sensibilidade.
Informado acerca das relações da pele com as vísceras subjacentes, o massagista acionará com segurança e precisão o magnífico teclado terapêutico que representa sua técnica.
As manipulações manuais variadas que constituem a técnica da massoterapia são praticadas na superfície de um organismo vivo, sobre o órgão mais extenso, cuja função anatômica e fisiológica é de capital importância: a pele. Essa vasta terminação nervosa possui múltiplas sensibilidades (tato, dor, calor) e funções primordiais (proteção, respiração, eliminação, nutrição, controle circulatório).
Se a pele é quase sempre o espelho dos desequilíbrios internos, também é possível, por seu intermédio, influir sobre esses distúrbios. As dores de origem profunda, viscerais, são freqüentemente sentidas não no nível do órgão atingido, mas em uma zona cutânea sempre idêntica em relação a uma dada víscera. É o que os cientistas chamam de zonas metainéricas de Heard. Um exemplo que todos conhecem: a anginado peito sempre vem acompanhada de uma digno braço esquerdo.

Atenuando a Dor através da Massoterapia

Ao massagear essas zonas metaméricas, hoje catalogadas, é possível atenuar a dor. Porém, e é certamente o que mais importa do ponto de vista terapêutico, a recíproca parece verdadeira. Se uma lesão orgânica age num determinado ponto da pele, é possível agir sobre a lesão em questão excitando tal ponto e provocando um reflexo profundo. Outros caminhos privilegiados abrem-se para a massoterapia: a ação sobre a circulação sanguínea, o sistema nervoso, os líquidos intersticiais (os edemas…), as manipulações de membros traumatizados.
Resta, contudo, a reação individual à massagem, que depende do equilíbrio nervoso, hormonal e circulatório de cada pessoa. O massagista competente deve saber jogar com essa nuanças.
Isto posto, se quisermos considerar a massagem como uma terapêutica séria, será inútil preconizá-la na eventualidade de qualquer doença, como também será inútil fazer crer que todos, sem estudos prévios, são capazes de praticar uma massagem curativa em um membro da família ou em um amigo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget
Related Posts with Thumbnails