sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Massagem abdominal para curar processos emocionais


Anda com a energia em baixa? Solte o ventre
Tem uma região do nosso corpo que é “quase” esquecida. Digo “quase” porque em verdade, esteticamente ela é uma neura, mas terapeuticamente é esquecida: a barriga. Pois então, nosso abdômen, alvo de admiração de tanquinhos ambulantes, ou de repugnância de panças salientes, é um lugar onde muita coisa acontece. E deveria receber mais respeito e atenção.
É ali que reside, não só a capa de gordura que nos protege do mundo, mas, nossos processos de raiva (fígado), nosso ego e inseguranças (estômago), nossos apegos (intestinos) e muitos, e muitos outros processos físico-emocionais que são como um redemoinho. É o local onde digerimos (ou não), entendemos (ou não), separamos o que é bom ou ruim para nós (ou não), e deixamos ir o que não nos serve mais… ou não.
Se um cliente chega reclamando que tem baixa de energia, a primeira coisa que faço é soltar seu abdômen. É um local que retém muito da nossa energia vital, além de ajudar em todos os processos que relatei acima. A baixa de energia normalmente acontece quando estamos atolados em processos internos que não conseguimos digerir mental, emocional e consequentemente, fisicamente.
Além de toda essa ruminação mental-emocional que “alimentamos” no abdômen, é também ali (4 dedos abaixo do umbigo) que mora nosso segundo coração (dentro da Medicina Chinesa), o ponto Tandem. Esse pequenino ponto, guarda nossa energia vital e é também o local de equilíbrio do corpo e centramento com a Terra.
Nosso corpo, têm milhares de pequenos pontos que quando pressionados despertam e mobilizam verdadeiros mananciais de vitalidade, o ponto tandem, é supra nesse quesito.
Dicas:
Massageie, aperte, pressione e faça circular!
Olhe seu abdômen como a energia de um redemoinho que precisa circular. Você pode fazê-lo a seco, somente pressionando os pontos com movimentos circulares, ou, usar um creme bem emoliente para fazer a massagem.
Mas preste atenção, a massagem no abdômen tem como objetivo manipular as vísceras internas, logo, ela não é superficial, ok? Procure aprofundar seus dedos de forma a sentir seus órgãos internos. Mas atenção: embora ela seja mais profunda, é para ser feita de forma delicada e sempre com movimentos circulares.
É comum, sentirmos algum desconforto nas primeiras vezes, pois iremos encontrar gases, retenções de bolo fecal e etcs no meio do caminho, mas com um pouco de paciência intercalada com respiração profunda ela fica cada vez mais agradável.
Não esqueça de massagear o estômago e as regiões do fígado e baço (laterais). Outro item importante: não importa se você já retirou a vesícula, o apêndice ou qualquer outra parte interna do abdômen. Embora ela não esteja no local fisicamente, sua correspondência energética existe. Então faça a massagem como se ela estivesse ali.
Água, muita água. Ela é o líquido da vida. Então beba água. Ela ajuda a fluidificar todos esses processos internos e digestórios, atua em toda ação química do nosso corpo. Um corpo sem água é como uma engrenagem sem óleo.
Respiração do baixo ventre. Observe a respiração de um bebê. Ele inspira com o tórax e expira pelo abdômen contraindo o baixo ventre para que ocorra toda a saída de ar. Essa deveria ser a respiração de todos nós. Mas, vamos crescendo e degringolando o ato de respirar mediante cada baque emocional que recebemos, daí lá pelas tantas na vida, estamos fazendo respiração de cachorrinho 24 horas por dia.
Explore a energia do seu tórax enchendo o pulmão com vontade quando inspirar, e ative a energia do abdômen – o contraindo -, quando estiver expirando. E é simples assim, massageie seu abdômen – seja ele um tanquinho ou uma pancinha – para além dos abdominais da academia, beba muita água e respire com vontade. Você verá o quanto de vitalidade irá despertar em seu corpo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget
Related Posts with Thumbnails